/BLOG

Destaque:

Cobrança Factoring

Factoring e Agiotagem: você sabe a diferença?


11/03/2019 | 0 Comentários | por Decisão

E você, entendeu todas as diferenças entre factoring e agiotagem? Aproveite e assine nossa newsletter para ficar por dentro de todas as novidades do mercado de fomento mercantil!

Entre as principais ferramentas para que uma empresa sobreviva no mercado está o acesso a crédito com juros competitivos para gerar capital de giro ao negócio.

Nessa hora, pequenos e médios empresários possuem diversas alternativas, como a antecipação de recebíveis, empréstimos para pessoas jurídicas e, mais recentemente, o fomento mercantil ou factoring.

Por se tratar de uma atividade relativamente recente, o factoring ainda gera muitas dúvidas no mercado, especialmente relacionadas à sua legalidade. É comum que alguns empreendedores confundam a operação com agiotagem, o que é uma concepção completamente equivocada.

Para te mostrar, fizemos um comparativo abaixo entre factoring e agiotagem. Acompanhe conosco e descubra as diferenças entre as duas operações!

O que é agiotagem?

Antes de falar sobre as diferenças entre factoring e agiotagem, é preciso primeiro entender o que são as duas operações. A agiotagem, ou crime de usura, é uma prática ilegal de emprestar dinheiro a pessoas físicas ou jurídicas com juros exorbitantes, acima daquelas permitidos por lei.

Ou seja, a agiotagem é ilegal, tendo pelo menos quatro diplomas legais no Brasil que tratam do assunto:

  • Decreto 22.626/33 — simulação ou prática tendente a ocultar a verdadeira taxa do juro ou a fraudar os dispositivos desta lei, com pena de detenção de 6 meses a 1 ano e multa;
  • Lei 1.521/51 —cobrar juros, comissões ou descontos percentuais, sobre dívidas em dinheiro superiores à taxa permitida por lei, com pena de detenção de 6 meses a 1 ano e multa;
  • Lei 4.595/64 — atuar como instituição financeira, sem estar devidamente autorizada pelo Banco Central, com pena de detenção de 1 a 2 anos e multa;
  • Lei 7.492/86 — exigir, em desacordo com a legislação, juro, comissão ou qualquer tipo de remuneração sobre operação de crédito, com pena de detenção de 1 a 4 anos e multa.

Mas então, por que a agiotagem ainda é procurada por muitos empreendedores, especialmente de pequenas e médias empresas?

A questão é que o início de qualquer atividade empresarial é difícil. Muitas empresas fecham por falta de capital de giro nos 5 primeiros anos de execução. Isso porque o acesso ao crédito nesse período é dificultado pela burocracia dos bancos e pela reputação das empresas que ainda está em construção.

Os agiotas oferecem "dinheiro fácil", mas que vem com um custo muito alto no fim das contas — além dos juros exorbitantes, o empresário pode manchar a imagem da empresa se envolvendo em uma operação ilegal.

E o factoring, o que é?

Já o factoring é uma atividade regulamentada pela Anfac, Associação Nacional de Fomento Comercial. Ela acontece quando um credor, no caso uma empresa que recebe o nome de a factoring, adquiri créditos de vendas a receber de uma empresa cedente e passa a ser detentora desses direitos creditórios.

No factoring, se estabelece uma relação comercial entre as duas partes. Ou seja, a empresa de factoring não fornece um empréstimo como uma instituição financeira, mas faz a compra das duplicatas, gerando capital de giro imediato para a cedente e recebendo o valor posteriormente do devedor desta.

E quais as diferenças entre factoring e agiotagem?

Já deu para ter uma ideia das diferenças entre factoring e agiotagem, mas para resumir, montamos um quadro explicativo abaixo:

FACTORING
AGIOTAGEM
Legalidade
Atividade comercial legal, com legislação específica em votação na câmara
É considerado crime contra a economia previsto em diversos diplomas legais
Burocracia
Há apenas o contrato de prestação de serviço, o borderô e o termo aditivo do contrato. O processo pode ser feito por meio de uma plataforma online
Quase sempre, o cliente não assina nada. Às vezes só um recibo de recebimento
Taxas
Na factoring, a cedente paga um fator (taxa) pela operação, que geralmente representa um valor entre 2% a 5% do total das duplicatas 
Os juros cobrados ultrapassam os limites impostos pelo Banco Central
Análise de crédito
A factoring faz análise de crédito dos devedores da cedente antes da compra das duplicatas
Sem análise de crédito, o agiota reflete os riscos na cobrança exorbitante de juros
Formas de pagamento
Os créditos são depositados diretamente na conta do cliente com o deságio do fator (taxa) da factoring
Dinheiro. Algumas vezes, em cheque cruzado para depositar. Dependendo da relação, aceitam depósitos
Maior estabilidade empresarial
A factoring assume riscos de impontualidade do comprador ou de insolvência da empresa com títulos a vender
Se existe um débito de um sacado, o agiota assume uma postura violenta de cobrança

Em suma, o factoring é uma forma legal e rápida de gerar capital de giro para pequenos e médios empresários, que tem atendido empresas que não podem arcar com o tempo de espera gerado pela burocracia dos bancos tradicionais — o que tem feito a atividade de fomento crescer no Brasil.

Compartilhar:

/DEIXE SEU COMENTÁRIO


Endereço

Rua Uberaba, s/n, Quadra 77, Lote 09,
Sobrado 03 - Jardim Luz
Aparecida de Goiânia - GO
74915-123.


Matriz - GO

(62) 4013-9300 / (62) 3280-9300


Filial - SP

(11) 5081-6033

    Siga-nos: