/BLOG

Destaque:

Cobrança Factoring

Conheça dicas para escolher um software para factoring


22/01/2017 | 1 Comentários | por Decisão

Quando o objetivo é adotar um software para factoring, é preciso fazer considerações importantes. A seguir, apresentamos 3 cuidados que você deve ter ao escolher o software que vai melhorar as atividades de sua factoring! 

O bom funcionamento de uma empresa de factoring depende do gerenciamento completo de todas as atividades de fomento mercantil realizadas. Sua sobrevivência no mercado está, sem dúvidas, atrelada a investimentos em recursos de TI. Mas o que determina o sucesso da aplicação desses recursos é o uso dos meios mais apropriados para o seu segmento. Acompanhe abaixo:

1) ANALISE O PROGRAMA DE FOMENTO MERCANTIL

Para fazer essa análise, determine, antes de tudo, quais são as suas expectativas em relação ao software. Quando avaliamos tecnologias para gerenciamento de factoring, geralmente, esperamos que tenham determinados atributos sem os quais alguns requisitos operacionais, como celeridade na  análise da documentação apresentada e confiabilidade nos cálculos, não seriam alcançados.

Por isso, ao analisar o software em consideração, é importante que obtenha respostas positivas aos seguintes questionamentos:

  • O software realiza o cálculo e controla o recolhimento de todos os tributos de acordo com a legislação tributária?
  • O software apresenta mensagens de erro relativas a CPF inválido, limite de crédito ultrapassado do cedente ou sacado e integração com Boa Vista e Serasa?
  • O software como um todo atende às exigências do COAF (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) e às normas da ANFAC (Associação Nacional de Fomento Comercial)?
  • O software apresenta resultados de cálculos precisos, sem erros e inconsistências?
  • O software gera todos os relatórios e documentos necessários, como contratos, borderôs, aditivos, carta de aceite e carta de recompra?
  • O software se adequa ao tamanho das necessidades de sua factoring?
  • O software é leve de modo a exigir, para processamento, o mínimo de recursos de equipamentos (computadores)?
  • O software é de fácil operacionalização?

2) VERIFIQUE AS FACILIDADES DE USO

O software deve ser uma ferramenta de assistência às operações e não mais um dificultador. Por isso, analise se os recursos de design e interface facilitam a experiência de interação entre software e operador.

O uso deve ser intuitivo. Portanto, considere a forma como navega nos mecanismos do software, ponderando se consegue chegar aonde quer e fazer o que precisa, sem ficar perdido com muita frequência. Além disso, confira se o software se adequa às regras de funcionamento da sua factoring.

3) AVALIE O FORNECEDOR

Além de analisar o software, é importante avaliar a empresa e seus sócios. Para isso, faça consultas dos CPF e do CNPJ. Também pesquise o grau de satisfação de seus clientes e investigue o tempo de atuação que a empresa possui no mercado do seu ramo de atividade.

Não deixe de certificar-se de que forneçam treinamentos operacionais qualificados do software, com equipe especializada em software para factoring e assistência técnica disponível eficaz com número suficiente de atendentes.

Esses são apenas alguns cuidados que você deve ter na hora de fazer a sua escolha. Mas, se continua com dúvidas, não se preocupe! Preparamos um material completo para que também entenda os sintomas que indicam a necessidade de um software para factoring e conheça mais alguns cuidados que você deve ter ao escolher o seu!

Compartilhar:

/DEIXE SEU COMENTÁRIO


Endereço

Rua Uberaba, s/n, Quadra 77, Lote 09,
Sobrado 03 - Jardim Luz
Aparecida de Goiânia - GO
74915-123.


Matriz - GO

(62) 4013-9300 / (62) 3280-9300


Filial - SP

(11) 5081-6033


Representante - MT

(65) 3646-8803 / 99227-5789

    Siga-nos: